Patagônia argentina e chilena + Buenos Aires – 5ª parte: El Calafate a Buenos Aires

Olá, mundantes!

Começamos as postagens sobre a Patagônia e Buenos aires com um resumo geral. Depois, demos seguimento aos posts com nosso diário de bordo: El Chálten, Puerto Natales e Torres del Paine e El Calafate.

Hoje contaremos nossa mundança na capital argentina, Buenos Aires.

Vem mundar?! Boa leitura!

12.11.14 (quarta): El Calafate – Buenos Aires

Pela manhã, partimos de avião de El Calafate para Buenos Aires, num voo de 6 horas (fizemos conexão em Ushuaia, mas sem tempo de conhecê-la).

Voltando para passar mais tempo, escolhemos um hotel em Palermo Hollywood, o Infinito Hotel, que com exceção de uma recepcionista extremamente desagradável, possuía um bom atendimento. Apesar de estar localizado em um prédio antigo, parece ter passado por uma reforma recente, tem uma decoração moderna e é bem limpinho.

Nesse dia, aproveitamos para conhecer as redondezas do hotel e fomos ao Jardim Botânico.

                                           IMG_1005 IMG_1006

De volta ao hotel, fizemos nossa reserva online para o “Cabaña Las Lilas” em Puerto Madero: um dos restaurantes mais caros da viagem e que não vale a fama entre os brasileiros: apenas um dos nossos pratos custou 800 pesos e nem ficou entre os TOP 5 das férias.

                                      IMG_1018    IMG_1020_1024

13.11.14 (quinta): Buenos Aires – Centro, Caminito, Puerto Madero, tango Carlos Gardel

Pela manhã, fomos ao Café Tortoni, onde combinamos de encontrar a Karina Enebelo e trocar mais pesos. Ela tinha ficado de reservar para nós o show “Fuerza Bruta” que estávamos muito empolgados para assistir, mas não deu certo, fechando apenas o tango no Carlos Gardel.

IMG_1022_1024
Café Tortoni

IMG_1029

Aproveitamos para conhecer o resto do centro: Plaza de Mayo, Casa Rosada etc. Tirar fotos na frente de cada um desses lugares estava longe do nosso objetivo de viagem. Mas durante a programação dessas férias nosso foco ficou totalmente direcionado à Patagônia. Assim, por falta de organização, acabamos fazendo o trivial na capital argentina. 

                 GOPR1893_1024 GOPR1895_1024

                 DCIM107GOPRO DCIM107GOPRO

No Centro, conhecemos um rapaz que estava oferecendo passeio ao Zoo de Luján. Apesar das denúncias de maus tratos etc, decidimos oferecer ao zoológico o benefício da dúvida e o Caio quis conhecer. Mas suspeitamos que os valores oferecidos era um golpe para turistas e preferimos não arriscar. Pegamos um táxi e fomos a Caminito.

Por indicação da amiga Warribe, compramos um alfajor maravilhoso em uma das galerias, bem melhor que o Havana (mais conhecido): Cachafaz. Tentamos conhecer La Bombonera, mas estava fechado e não conseguimos entrar.
GOPR1920_1024

IMG_1044_1024
#serbrega #fazparte

IMG_1034_1024

Novo táxi, dessa vez com destino a Puerto Madero e almoçamos no Brasa Argentina, um buffet com muita variedade e preço bom.

GOPR1926_1024

À noite, um transfer nos buscou no hotel e fomos ao tango no Carlos Gardel. Há bons dançarinos, o jantar incluía água/vinho, entrada, duas opções de prato principal (carne bovina ou peixe) e sobremesa.

14.11.14 (sexta): Buenos Aires

Nesse dia dei uma canseira no Caio, fazendo-o lembrar da escalada no Fitz Roy. Pegamos um táxi para a Recoleta e voltamos andando, para tentar explorar o restante da capital argentina. Passamos boa parte da manhã em um parque, onde fizemos um mini piquenique (levei uma canga especialmente pra isso).

Tentamos alugar uma bicicleta, mas a burocracia era grande, não conseguimos locar e então continuamos a caminhada. Percorremos a Recoleta, alguns jardins, a Faculdade de Direito, a Praça das Nações Unidas (onde fica a flor que abre-fecha durante o decorrer do dia), Jardim Japonês, Rosedal, Planetário etc.

                    GOPR1942_1024GOPR1948_1024

GOPR1969_1024

IMG_1075_1024 IMG_1118_1024

DCIM107GOPRO

Almoçamos no Burger Joint em Palermo Hollywood. Encontramos o restaurante no Google e foi uma ótima pedida! É super inovador e criativo em todos os detalhes: cardápio, decoração, atendimento…O hambúrguer é maravilhoso e o preço muito camarada. Recomendamos muitíssimo!

IMG_1126_1024

Depois de andar mais um pouquinho, a sobremesa ficou por conta da Jauja, que possui vários sabores de sorvete maravilhosos e atendentes muito simpáticos. E também um estacionamento para cachorros: os argentinos são muito simpáticos com cachorros, eles estão por toda a parte e não são “enxotados” como aqui no Brasil.

IMG_1129_1024

À noite, pegamos nosso voo de volta ao Brasil, finalizando nossa mundança pela Patagônia argentina, chilena e Buenos Aires. Esperamos que nossas dicas auxiliem vocês a desbravarem esses maravilhosos lugares pelos quais passamos!

Qualquer dúvida, deixe um comentário ou envie um e-mail para contato@vemundar.com.

Boa mundança!

Anúncios

4 comentários sobre “Patagônia argentina e chilena + Buenos Aires – 5ª parte: El Calafate a Buenos Aires

  1. Ola. ótimo blog. Só algumas duvidas kkk vcs só fizeram a patagônias ( arg e chilena)? lembra do valor do aluguel do carro? quase 90 % do passeios vcs fizeram de carro? teve algum problema?? Os 10.000,00 que vcs declaram que investiram na viajem esta incluindo tudo?? hotéis, passeios, aluguel de carro, gasolina, refeiçoes = voo interno?? to pensando em ir em outubro, o que vcs acham da época?? ainda não é alta temporada??

    Curtir

    1. Fala, Marcelo! Tudo bom? Que bom que está curtindo o blog. Você vai amar a Patagônia, é incrível…Em outubro ainda não é alta temporada, é um pouco mais frio do que quando fomos porque ainda não entrou na primavera. Mas tem a vantagem de provavelmente pegar valores mais baixos. Em relação ao carro, fizemos basicamente tudo com ele, só não os passeios que exigiam carro próprio da empresa (quadriciclo, por exemplo) e não tivemos problema algum. Ah! Exceto que chegamos num domingo e as locadoras do aeroporto estavam fechadas…é bom se atentar pra isso. Alugamos na Nunatak Rent a Car (Gobernador Gregores, 1075 – rua paralela à Av. Del Libertador). O valor do contrato ficou 3000 pesos no dinheiro e 5200 pesos no cartão. Nesse valor, incluída a “carta verde” – autorização para irmos ao Chile. Os 10 mil que falamos inclui exatamente tudo! Só lembrando que a viagem foi feita em 2014. Aproveite muito! Qualquer dúvida, estamos à disposição.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s